Como memorizar uma música?

Cursos Técnicos

Como memorizar uma música?

Muitas atividades que realizamos como músicos profissionais dependem de memorização de longos trechos melódicos, harmônicos e rítmicos.

Um concertista tocará de memória sua participação em um recital, não é verdade?

Há regentes que atuam, na condução e interpretação, com uma orquestra tendo a peça totalmente memorizada. Peças que ultrapassam trinta minutos! Não é mesmo?

Então se você nunca viu um regente atuando de memória, procure no youtube alguns vídeos, e aquela progressão harmônica que você ainda não conseguiu memorizar vai parecer o grupo de vogais.

Um artista de música improvisada apresenta continuamente as variações de sua obra, conjuntos e sonoridades planejadas sem seguir um mapa, utilizando técnicas de memorização.

O que é mapa?

Concerne: A partitura é um mapa, que apresenta as variações de altura e duração na música popular (timbre ao identificar o executante), e ainda de expressividade e timbre – como variação na emissão de uma nota em uma partitura para a música erudita.

Como atuar para ativar o processo de memorização?

A prática da memorização se iguala a de sua primeira aprendizagem. Embora haja procedimentos específicos para tal, é notório para a memorização reunir os valores rítmicos, melódicos e harmônicos, como objetivo final.

Primeiro é preciso afirmar que um trecho musical mal executado nas primeiras oportunidades de prática musical são memórias. Infelizmente nosso cérebro aprende invariavelmente os movimentos, e sem a consciência do que está certo e do que está errado, fixa, aprendendo erros! Isso mesmo!

Cuidar da primeira impressão sobre uma obra é fundamental.

No processo de memorização podemos construir separando os valores:

  • Memorize a melodia objetivada sem utilizar o instrumento. Intuitivamente, cantando internamente ou emitindo os sons. Faça isso ouvindo algumas gravações, auxiliará, por exemplo, a seguir, na melhor interpretação. Se você consegue entoar toda melodia ou ouvi-la internamente, será fácil memoriza-la na mecânica de seu instrumento.
  • Enquanto isso estude os movimentos muito lentamente. As sinapses ocorrem quando estamos produzindo informação. Como vimos não sabemos diferenciar o que está certo e errado nas sinapses de primeiro aprendizado. O primeiro passo fisiológico perfeito é fundamental. Um erro pode ser memorizado, esse é o ponto. Por isso é fundamental equilibrar percepção e gesto.

Você nunca se pegou errando sempre no mesmo lugar? Pois é!

  • É de suma importância tocar do começo ao fim corretamente, para que se aprenda perfeitamente. E lentamente colaborará para que as sinapses ocorram de forma correta. Nesse processo tenha muita paciência. Toque lento e progrida ao andamento estabelecido pelo compositor de pouco em pouco.

 

Nesse processo descarte a preocupação rítmica, e assegure a fisiologia como fundamento central. O ritmo está sendo aprendido oralmente.

 

  • Identifique e analise o fraseado melódico, e estude-os separadamente. Unindo agora a melodia memorizada intuitivamente no primeiro processo, e a mecânica estipulada no segundo processo.
  • Identifique e analise as cadências harmônicas. As formas. E as melodias contrapontísticas, se houverem.
  • Ao improvisador, identifique as variações harmônicas, acordes e as escalas que se propõe utilizar. Também progressivamente.
  • Para o improvisador estude os ciclos harmônicos. Estude a função das notas. E lembre-se de praticar em todas as tonalidades. Principalmente aos músicos que trabalham com criação em tempo real.

Eu, particularmente, memoriza mais rapidamente se sei cantar a obra. Aprendi esse conceito com um professor de regência orquestral, Maestro Dario Sotelo, no curso que realizei parcialmente no Conservatório de Tatuí nos anos 2000.

Cantar as linhas guias cravando o fraseado de maneira determinante. Reforçando cada pequena variação de modo a compreender timbres.

Vamos lá?

Já conhece nossa série de dicas? Essa é a de número vinte e um! Faltam apenas cinco para concluir essa série!

Publicado em 20 de abril de 2018, ampliado em 5 de novembro de 2020.

#VemProSouzaLima

Pós Graduação
Previous articleFormação teórica é importante para o músico?
Next articleQual instrumento musical combina comigo?
Eu sou o Professor João Marcondes! Apaixonado por música e educação musical. Sou compositor e instrumentista com muita coisa publicada. Sou coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical da Faculdade e Conservatório Souza Lima - cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Também coordeno programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. E coordeno as unidades Moema e Alphaville desde 2010. Também atuo na instituição em tarefas administrativas, e sou diretor da editora Souza Lima. Sou autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Meus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. E também de maneira impressa. Sou educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Minhas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. Sou diretor e fundador da gravadora BAC Discos! Que lançou diversos artistas atuantes hoje na música brasileira. Conheça em www.bacdiscos.com/ Segue meu instagram; https://www.instagram.com/joaomarcondesoficial/