É importante para o músico saber compor?

Cursos Técnicos

É importante para o músico saber compor?

Compor mais que uma atividade prazerosa precisa ser avaliada como obrigação ao futuro músico profissional, afinal a composição pode oferecer recursos financeiros para sua consolidação profissional.

Tradicionalmente o ato de compor é considerado menção poucos, mas não é. Como se compor fosse algum poder sobrenatural, algo divino, também não é.

Compor combina questões envoltas em conhecimentos específicos – melódicos, harmônicos, da organologia, forma e instrumentação-, que podem ser ensinados. E se bem ensinados podem ser desenvolvidos por qualquer um.

A composição está no senso comum, na opinião geral, relacionada diretamente com certa inspiração. Com certo “dom”. É uma visão distorcida. A composição está relacionada com a prática, a mesma dedicação que estabelece um instrumentista, um regente, um arranjador.

A composição, ou a ação de compor, na verdade trabalha com ideias muito simples.

O compositor é um conhecedor. É um especialista. Aquele que conhece o repertório e os estilos, gêneros e ritmos, e tudo com profundidade e conhecimento de causa artística e técnica.

Artística por demandar conhecer o que foi composto ao longo da história, na progressão de nosso aprendizado. Técnica pro demandar desenvolver os elementos primordiais

Vamos observar que na 5ª Sinfonia de Beethoven a ideia melódica que move a obra é de fato muito simples. Esse motivo melódico, conforme chamamos em composição, não chega a um compasso. Os conhecimentos das práticas da composição apresentados levaram a uma obra extensa, e cheia de variações, com pontes modulatórias, expansões e contrações, transposições diatônicas e reais.

A atividade do futuro músico profissional, que vai se praticar a composição como mais um recurso, faz com que seja preciso bem menos do que uma sinfonia. E esse é o ponto: Precisamos ter noções de composição para cumprir a ideia de diversificar as áreas de atuação como quem pode se deparar com uma necessidade profissional. Quando a oportunidade nos confrontar estaremos prontos.

É preciso desmistificar a composição por passar longe de ser algo para escolhidos. Compor é uma atividade possível para todo músico profissional.

Com conhecimento adquirido podemos como músicos profissionais prestar serviço a uma empresa de publicidade, para uma marca local de uma cidade no interior, para um site, para uma propaganda política. Ou para um grupo de dança ou teatro.

Compor é algo natural sem dúvidas, mas apenas para a primeira menção. As demais  concernem em desenvolvimento e são exclusivamente técnicas. Diagramadas. E passíveis de serem estudadas.

É importante para o músico saber compor!

Vamos em frente! Precisamos ser profissionais melhores para atuação como músicos que atendam diretamente o mercado.

Já leu as outras dicas?

A dica sobre desenvolvermo-nos como compositores é ao mesmo tempo desenvolvimento da ideia de diversificar.

As segundas-feiras no período da noite realizamos um encontro de compositores de música instrumental, é uma aula do curso livre, do Conservatório e Faculdade Souza Lima, que no qual esse blog representa na internet.

A aula consiste em um laboratório de composição instrumental. Descrevo pessoalmente os temas que vamos desenvolver obras composicionais, os alunos produzem ao longo da semana, e as demonstram na semana que sucede o conteúdo original.

É uma forma importante de cultivar a composição e os compositores.

Se tiver interesse nesse tipo de programa, escreva para joao.marcondes@souzalima.com.br

O acesso a esse programa é restrito, e mediante entrevista, o programa tem custo mensal de R$399,00, e os encontros são de três horas aula. Entre 20h e 22h30. Vagas limitadas.

Aproveite o tempo, as aulas são a distância. Gosta de composição, a hora é agora.

E fica a dica, estude composição com quem é compositor de fato, não com quem usa do conhecimento da harmonia tradicional e contraponto para se afirmar compositor, e de fato não é capaz de produzir uma linha orgânica e minimamente autêntica.

#VemProSouzaLima

Pós Graduação
Previous articleQuantos anos de duração possui um curso de música?
Next articleÉ importante para o músico estudar arranjo?
Eu sou o Professor João Marcondes! Apaixonado por música e educação musical. Sou compositor e instrumentista com muita coisa publicada. Sou coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical da Faculdade e Conservatório Souza Lima - cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Também coordeno programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. E coordeno as unidades Moema e Alphaville desde 2010. Também atuo na instituição em tarefas administrativas, e sou diretor da editora Souza Lima. Sou autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Meus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. E também de maneira impressa. Sou educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Minhas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. Sou diretor e fundador da gravadora BAC Discos! Que lançou diversos artistas atuantes hoje na música brasileira. Conheça em www.bacdiscos.com/ Segue meu instagram; https://www.instagram.com/joaomarcondesoficial/